Sem Destino - Imre Kertész

Sem Destino, de Imre Kertész: um dos livros mais tocantes que já li. 

"Na verdade, os muros estreitos das prisões não conseguem reprimir as asas da imaginação". (p.111)

"Transformara-me numa espécie de buraco, de vazio, e todos os meus esforços, todas as minhas preocupações, tinham como única finalidade suprimir, encher, calar esse cada vez mais exigente vazio sem fundo". (p.114)