LINDA MARTINI - ENTREVISTA (2007)


1) Onde, como e porquê a banda foi fundada? Com quais objetivos? Quais foram as maiores dificuldades?


Algures em 2003. Tédio e vontade de fazer coisas diferentes. Nenhum objectivo definido. Também não tivemos muitas dificuldades, talvez por não termos outras ambições que não a realização pessoal.

2) Como foi produzir esse primeiro disco, Olhos de Mongol? Gostaram do resultado final? 

O processo criativo foi muito livre e houve muito espaço para improvisar sobre o que iamos gravando. Gostamos do resultado final, embora a produção não corresponda excatamente ao ideal que tínhamos.

3) Por que escolheram cantar em português? Acham que a língua pode ser um obstáculo em outros países?

Porque nunca o tinhamos feito. Queriamos escrever sem necessidade de traduzir o que pensamos. Para nós a questão da língua não se prende com o desejo de ser aceite, é uma opção estética. Da experiência que tivemos na Irlanda e em Inglaterra até diria que não é um obstáculo. Acaba por ser um factor distintivo porque lá ninguém canta em português.

4) Gosto muito da música "Dá-me a Tua Melhor Faca". Ela tem algum significado especial para vocês?

Não é mais especial que as outras mas gostamos muito de a tocar ao vivo. A frase surgiu a partir do livro "A noite das facas longas".

5) O primeiro disco já foi lançado. Agora, quais são os próximos projetos dos Linda Martini?

Queremos fazer coisas diferentes. Há pouco tempo o Kalaf convidou-nos para tocarmos com ele na Gulbenkian e deu-nos um gozo imenso sair da nossa zona de conforto e aproximarmo-nos de outras linguagens. Existe a idéia de gravar um vinil com temas inéditos. Se calhar no início do próximo ano há novidades.

6) Quais são as maiores influências da banda? O que andam a ouvir?

Ouvimos de tudo. É difícil apontar um ou dois nomes.

7) O que acham do rock em Portugal? Ele tem o devido espaço nos media?

A música em Portugal está de boa saúde, pelo menos do lado de quem a faz. Em todos os estilos encontras projectos interessantes.

8) Se pudessem se transformar em uma banda de quem são fãs, qual seria? Por quê?

Os Ena Pá 2000. Porque são os reis.

*Entrevista feita por mim em junho de 2007.

Livro digital

Nenhum comentário
"Amar um livro é pedir-lhe que seja sempre nosso, assim, como um amor que se conserva para repetir ou reaprender. Como poderemos jurar fidelidade a um texto que se desliga? É como não ter sentimentos, descansar na morte, não permanecer vivo enquanto espera por nós. É infiel."

Trecho da crônica Situar, do escritor Valter Hugo Mãe, publicada na Revista 2 no dia 18 de Novembro de 2012. Fonte: Jornal Público

Nenhum comentário :

Postar um comentário

CONGRESSOS EM PORTUGAL

Nenhum comentário
Dia 6 de dezembro, no Porto, no III Congresso Internacional de Ciberjornalismo, apresento o trabalho sobre "Rádio nos meios de comunicação: uma nova forma de ouvir"; nessa oportunidade mais voltado para a convergência. Mais informações aqui: III COBCIBER.

E dia 7 de dezembro volto a apresentar no IV Seminário Internacional Media, Jornalismo e Democracia, que é um evento para homenagear Nelson Traquina, meu orientador no mestrado. A apresentação nesse dia será sobre rádio, jovens, novas tecnologias e cultura contemporânea. Mais informações aqui: IV MEDIA, JORNALISMO E DEMOCRACIA.

Nenhum comentário :

Postar um comentário